Técnica: A solução de nutrientes em Hidroponia

A Hidroponia consiste em cultivar plantas utilizando uma solução nutritiva sem recurso à utilização de solo. Esta solução nutritiva é composta por água, nutrientes essenciais e minerais. A grande maioria destes elementos podem ser obtidos através de sais e fertilizantes.

Existem já muitas soluções no mercado prontas a ser utilizadas umas mais idôneas outras mais duvidosas. Se precisarem de uma indicação de onde comprar um fertilizante biológico certificado falem comigo que eu indico-vos.

Mas no entanto, este tipo de fertilizante é possível de fazer em casa, utilizando elementos comuns que praticamente toda a gente tem. 

As plantas normalmente extraem os nutrientes do solo. Esses nutrientes são oriundos da vegetação morta e matéria orgânica animal que se vai acumulando e decompondo. No entanto, até mesmo no sol poderá haver carências de nutrientes e é necessário fornecer suplementos nutricionais. É por isto que agricultores e hortelãos fertilizam os solos. A Hidroponia permite um maior control sobre que nutrientes estão na água e o que a planta recebe. Poderá se variar consoante os diversos estágios de crescimento das plantas. Isto garante que a planta tem os nutrientes que precisa, na altura que precisa, o que leva a colheitas mais fartas e mais rápidas.

É importante ter em conta que o excesso de nutrientes pode matar as plantas, por isso é preferível por sempre a menos e ir corrigindo caso se note que há nutrientes em falta.

As plantas precisam essencialmente de 13 nutrientes sendo 6 macro nutrientes e 7 micro nutrientes. Obviamente os 6 macro nutrientes são mais importantes mas a falta de qualquer um deles leva a resultados um pouco desapontantes.

Macro Nutrientes

Nitrogênio (N)
O Nitrogênio é essencial para muitas funções internas das plantas. A sua carência é demonstrada por folhas amareladas e pálidas e um crescimento pequeno. Nitrogênio a mais leva a folhas em abundância mas poucos frutos. 

Fósforo (P)
O fósforo é importante para os vegetais que produzem fruto como as ervilhas e os feijões. Deficiência em fósforo normalmente manifesta-se através das folhas que apresentam uma cor escura ou lilás. O fósforo é também muito importante para a planta manter as suas raízes. 

Potássio (K)
O potássio é importante para os frutos aparecerem e crescerem. As plantas em clima mais frio precisam de mais potássio que as mesmas plantas em clima mais quente. Falta de potássio manifesta-se com manchas nos rebordos das folhas que se estende, com o tempo, a toda a folha dando-lhe um ar de murcho e seco, acastanhado.

Cálcio (Ca)
O cálcio é necessário para o crescimento das raízes. Falta de cálcio manifesta-se com um encarquilhar das folhas e uma cor demasiado escura nos caules e troncos.

Magnésio (Mg)
O Magnésio está no centro das células de clorofila. As plantas precisam de quantidades incríveis deste nutriente. Insuficiência manifesta-se com o amarelecer das folhas, normalmente a partir da base para as pontas.

Enxofre (S)
O enxofre tem o mesmo propósito que o magnésio, no entanto as necessidades são muito inferiores. A falta de enxofre manifesta-se da mesma forma que o magnésio.


Micro Nutrientes

Ferro (Fe)
É necessário para o crescimento da planta. Falta de ferro manifesta-se por um fraco crescimento e envelhecimento precoce das folhas.

Boro (B)
O Boro é utilizado pelas plantas para fixar outros elementos. Carências revelam-se através do apodrecimento das pontas das raízes, caules ocos e translúcidos.

Manganês (Mn)
Manganês auxilia na operação da clorofila. A carência mostra-se como a de magnésio.

Zinco (Zn)
O Zinco atua em conjunto com os macro nutrientes como catalizador. Auxilia no funcionamento geral das plantas. A sua carência é difícil de se notar. No entanto, em estudos feitos em laboratório provou-se que com Zinco na solução de rega as plantas desenvolvem-se melhor em todos os estágios de crescimento.

Cobre (Cu)
Tal como o Zinco, o cobre serve como catalizador.

Molibdênio (Mo)
A carência do molibdênio nota-se em plantas como o tomate. Revela-se através do envelhecimento e morte precoce dos botões de flor e jovens frutos. E também o envelhecimento das extremidades de crescimento das plantas travando assim o seu crescimento.

Cloro (Cl)
O Cloro também atua como catalizador. Habitualmente a água já tem a quantidade necessária de cloro não sendo preciso acrescentar.

Menções honrosas

Silício  (Si)
Embora não esteja amplamente estudado, alguns estudos apontam que o silício ajuda a tornar as plantas mais vigorosas. Actua a nivel celular fortalecendo as paredes externas das células.

A solução de nutrientes

Agora que já conhecemos os nomes estranhos do que faz falta a uma planta crescer, falta saber como fazer uma solução de nutrientes. Se já faz compostagem em casa, poderá usar o chá do composto para enriquecer a água do circuito. Uma razão de 10 para 1 (litros) deverá ser suficiente. Se necessário, aumentar esta relação. Mas caso não se faça compostagem (deve começar a fazer já!) pode fazer uma infusão simples. Uma receita é juntar cinza, borra de café e casca de ovo seca e reduzida a pó. Este “bolo” deve ser mergulhado em água e deverá ficar pelo menos 24 horas. Se possível deixar dois a 5 dias e deixar que a solução apanhe sol (mas sempre num contentor onde não entre luz). O calor acelera a transferência dos nutrientes para a água. Depois, coar e juntar à água do circuito. Poderá ser à razão de 1 para 5. Estes componentes fornecem os nutrientes necessários a todas as fases. Poderá usar outras combinações para fazer soluções de nutrientes mais específicas por fase de crescimento.

Artigo visto em: www.hidrohortaurbana.blogspot.com.br

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *