O Sistema NFT – Hidroponia

O sistema hidropônico NFT é uma técnica de cultivo em água, no qual as plantas crescem tendo o seu sistema radicular dentro de um canal ou canaleta através do qual circula uma solução nutritiva composta de água e nutrientes.

Essa técnica de hidroponia surgiu na Inglaterra em 1965, e a nomenclatura Nutrient Film Technique, sugere que a espessura do fluxo da solução nutritiva que passa através das raízes das plantas deve ser bastante espessa para fornecer a planta tudo o que ela necessita e ao mesmo tempo o fluxo não deve ser demasiado alto ao ponto de deixar as raízes submergidas e causando falta de oxigenação radicular.

Como o sistema NFT de hidroponia funciona?

Como pode ser visto da imagem abaixo, a hidroponia em NFT possui um reservatório onde a solução nutritiva é armazenada, do reservatório a solução nutritiva é bombeada para a parte superior da bancada de cultivo passando pelos canais e recolhida, na parte inferior do leito, retornando ao tanque.

Componentes para instalação de hidroponia no sistema NFT:

Para construção de uma horta hidropônica completa devemos ter um Sistema hidráulico, estufa e bancadas.

Sistema hidráulico:

O sistema hidráulico é responsável pelo armazenamento, recalque e drenagem da solução

nutritiva, sendo composto de um ou mais reservatórios de solução, do conjunto moto-bomba e dos encanamentos e registros.

O deposito da solução nutritiva pode ser de diversos materiais. Sendo que os tanques de PVC e de fibra têm sido os preferidos em virtude do menor custo, facilidade de manuseio e, por serem inertes, não necessitarem de nenhum tratamento de revestimento interno. É importante ressaltar que o depósito deve ser enterrado protegido da luz e bem vedado. Isso evita a formação de algas e a entrada de pequenos animais no depósito. Além disso, sua instalação deve ser preferencialmente abaixo do nível da tubulação dedrenagem, facilitando o retorno da solução por gravidade.

O tamanho do reservatório dependerá do número de plantas e das espécies que serão cultivadas. Deve-se obedecer ao limite mínimo de 0,1-0,25 L/planta para mudas, de 0,25-0,5 L/planta para plantas de pequeno porte (rúcula, almeirão), de 0,5-1,0 L/planta para plantas de porte médio (alface, salsa, cebolinha, agrião, manjericão, morango, cravo, crisântemo), de 1,0-5,0 L/planta para plantas de maior porte (tomate, pepino, melão, pimentão, berinjela, couve, salsão, etc.). Quanto maior a relação entre o volume do tanque e o número de plantas nas bancadas, menores serão as variações na concentração e temperatura da solução nutritiva. Entretanto, não se recomenda a instalação de depósitos com capacidade maior que 5.000 L, em vista da maior dificuldade para o manejo químico (correção do pH e da condutividade elétrica – CE) e oxigenação da solução nutritiva.

Para transferir a solução nutritiva do tanque até as raízes das plantas necessitamos de uma bomba. Contudo, potência necessária da bomba para o transporte da solução nutritiva é pequena. Isso porque a hidroponia requer uma pequena vazão no sistema. Sendo entre 1,5 litro/minuto a 2,0 litros/minuto por canaleta de cultivo.

A automação da bomba que promove a circulação da solução nutritiva é feita por um temporizador. Esse equipamento permite que o tempo de irrigação e drenagem ocorra de acordo com a programação que se deseja. Existem no mercado temporizadores mecânicos com intervalos de 10 por 10 ou 15 por 15 ou 20 por 20 minutos e temporizadores eletrônicos com intervalos variados de segundos a minutos.

O tempo de irrigação varia muito entre os sistemas, bancadas, regiões, tipos de cobertura, variedade cultivada e época do ano, não havendo regra geral. Em locais quentes, durante o verão, o sistema deverá permanecer ligado ininterruptamente durante as horas mais quentes do dia, ao passo que no mesmo local, no inverno, esse manejo será diferente.

Estufa para hidroponia:

Para se obter o máximo de qualidade no cultivo hidropônico é recomendado o cultivo dos vegetas em um ambiente protegido como uma estufa. Contudo, é possível construir uma pequena horta hidropônica sem uma estufa cara e complexa em sua própria casa, desde que seja num local abrigado do sol e chuva.

O modelo mais utilizado comercialmente é a capela (duas águas), que fornece amplo espaço interno, com bom escoamento da água das chuvas e boa proteção interna. Dependendo do tamanho da estufa podem ser colocadas várias bancadas no seu interior.

Para a cobertura das estufas recomenda-se a utilização de filme plástico aditivado anti-UV e antigotejo, com espessuras de 75 m, 100 m ou 150 m. O filme plástico antigotejo é de extrema importância, pois evita que o acúmulo interno de água caia em forma de gotas sobre as plantas e faz com que a água escorra pelas laterais da estufa. Assim, evitam-se a contaminação e a propagação de diversos patógenos, principalmente os fúngicos.

Bancadas:

As bancadas ou mesas de cultivo é onde são colocadas as mudas, ou seja, onde vai ocorrer o plantio e o desenvolvimento dos vegetais.

Abancada para hidroponia deve ter até 1,0 m de altura e 2,0 m de largura para mudas e plantas de ciclo curto (hortaliças de folhas) e até 0,2 m de altura e 1,0 m de largura para plantas de ciclo longo (hortaliças de frutos). Essas dimensões são suficientes para uma pessoa trabalhar de maneira confortável nos dois lados da mesa, facilitando-lhe as operações de transplante, os tratamentos fitossanitários, os tratos culturais, a colheita e a limpeza da mesa.

É recomendado uma declividade 2 a 4% nos canais que conduzem a solução nutritiva. E abancada deve ter no máximo 15 metros, isso evita a possibilidade de escassez de oxigênio para as últimas plantas da bancada.

Os canais de cultivos podem ser feitos com diversos tipos de materiais. Contudo, o material utilizado deve ser impermeável ou impermeabilizado para não reagir com a solução nutritiva. No Brasil, vêm-se utilizando para a montagem dos canais telhas de cimento amianto ou tubos de PVC, que são materiais muito usados na construção civil, fáceis de se encontrar e com preços razoáveis.

Como mostrado na imagem acima, os canos de PVC estão cortados ao meio, com isso, com o mesmo cano se obtém dois canais de cultivo. Também pode ser utilizado o cano inteiro, fazendo somente um orifício redondo para cada planta, isso dispensa o uso de placa de isopor, pois o próprio cano serve de suporte para o cultivo.

Os canais de PVC servem para todas as fases de desenvolvimento das hortaliças mais cultivadas. Para mudas utilizam-se os tubos de 40-50 mm; para fase intermediária, os de 75-100 mm, e para a fase definitiva ou produção, os de 100-200 mm, dependendo da espécie cultivada.

Os tubos de PVC são uma alternativa econômica para construção de uma horta hidropônica.

Artigo visto em: www.tudohidroponia.net

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *