Sistemas Hidropônicos – cultivo em cascalho ou argila expandida

O cultivo em cascalho ou argila expandida é um sistema fechado, de três fases. O cascalho e a argila expandida são materiais inertes; assim, a nutrição das plantas depende do fornecimento de solução nutitiva. O substrato serve, também, para dar apoio às plantas.

O cascalho, pela sua conformação irregular, permite a formação de poros de tamanhos variados, que resultam em melhor equilíbrio umidade/aeração. A argila expandida, por sua conformação regular, resulta em melhor aeração e menor retenção de umidade.

A argila expandida tem a vantagem de ser muito leve, porém, quebra-se com certa facilidade, podendo obstruir o sistema de drenagem. O cascalho proveniente de rocha calcária moída eleva o pH, induz deficiências de micronutrientes e retira fósforo da solução nutritiva (MARTINEZ, 2006).

O cultivo em cascalho ou argila expandida é um sistema fechado, de três fases. O cascalho e a argila expandida são materiais inertes; assim, a nutrição das plantas depende do fornecimento de solução nutrtiva. O substrato serve, também, para dar apoio às plantas.

O cascalho, pela sua conformação irregular, permite a formação de poros de tamanhos variados, que resultam em melhor equilíbrio umidade/aeração. A argila expandida, por sua conformação regular, resulta em melhor aeração e menor retenção de umidade.

A argila expandida tem a vantagem de ser muito leve, porém, quebra-se com certa facilidade, podendo obstruir o sistema de drenagem. O cascalho proveniente de rocha calcária moída eleva o pH, induz deficiências de micronutrientes e retira fósforo da solução nutritiva (MARTINEZ, 2006).

O cascalho ou a argila expandida são meios de cultivo com pouca ou nenhuma atividade química, de modo que a nutrição das plantas depende totalmente do fornecimento de uma solução nutritiva adequadamente balanceada. Nesse caso, o substrato ancora as plantas, não havendo a necessidade de suportes especiais (MARTINEZ, 2006).
Os canais de cultivo são feitos na superfície do solo. Devem ter o fundo em “V” e serem recobertos com lona de vinil de cerca de 200 mm de espessura. As medidas dos canais são: 80 cm de largura por 30 a 35 m de comprimento e altura de 30 a 35 cm.

A solução nutritiva é fornecida por subirrigação ou gotejamento. Na subirrigação, da mesma forma do cultivo em NFT, o sistema é fechado e circulante, apresentando basicamente os mesmos componentes. É colocado um tubo de PVC, perfurado, na parte mais baixa do canal. A mesma tubulação captura a solução nutritiva, após a irrigação do substrato, pelo uso de temporizador e válvulas solenoides. Sobre a tubulação é colocado o substrato.

O canal de cultivo é cheio com a solução nutritiva, de forma lenta, em 20 ou 30 min, para perfeita exaustão dos gases gerados pelo metabolismo radicular. A solução nutritiva não deve atingir a superfície do substrato para não dar algas e não evaporar. A solução nutritiva permanece em contato com o substrato por cerca de 30 min, depois é drenada.

No inverno, são realizados de três a quatro ciclos de rega e, no verão, de cinco a oito ciclos, dependendo de vários fatores relacionados à planta e às condições ambientais. Essa frequência depende da granulometria e conformação das partículas, das exigências hídricas e nutricionais da espécie cultivada, da densidade de plantio, do estádio de crescimento, da estação do ano e até da hora do dia.

A concentração de nutrientes e o pH da solução nutritiva devem ser ajustados diariamente, por seis a oito semanas, depois deve ser feita a troca da solução.

Por Silvana Teixeira
Artigo visto em: http://www.cpt.com.br/

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *