Irrigação – água na medida certa

Um bom sistema de irrigação deve oferecer a umidade necessária para que a relação ar/água do solo e a necessidade hídrica das plantas sejam supridas – e mantidas – o mais uniformemente possível. A nova tecnologia da Irrigação Localizada oferece exatamente essa uniformidade. Materiais e equipamentos fabricados e ofertados no mercado nacional têm características técnicas que possibilitam melhorar os sistemas.

Sistemas de Irrigação Localizada estão sendo testados nas principais universidades, que endossam, com seus laudos, as recomendações contidas nos projetos técnicos oferecidos. Se além da distribuição uniforme e dosagem precisa esse novo sistema puder captar água em pequenas quantidades, utilizando somente o necessário, não poderíamos deixar de nos impressionar e interessar por ele.

Ao utilizarmos um sistema de irrigação por sulco entramos num grande problema agronômico: o controle das doenças. Pelo sistema tradicional, uma doença poderá alastrar-se por todo um talhão de plantio através da água, que leva uma estrutura de multiplicação desse patógeno de uma planta para outras. Não é raro encontrarmos uma situação como essa, muitas vezes irreversível e, com certeza, de grande prejuízo para todo o sistema produtivo. Um sistema de irrigação mal desenvolvido e aplicado poderá tornar-se um fator limitante para o plantio de diversas culturas.

Não apenas a irrigação por sulco poderá favorecer o aparecimento e aumento na severidade das doenças; um sistema convencional de irrigação por aspersão também pode, se não for bem monitorado. Quando utilizamos o sistema por aspersão convencional aplicamos a água, com algumas exceções, em partes da planta que, na maioria dos casos, não precisam ser molhadas. A água, nessas condições, “molhou” a cultura e não somente a irrigou.

Se houverem condições climáticas para o aparecimento das doenças, essa cultura terá, num balanço final, muito mais gastos com agrotóxicos do que os que estariam presentes quando utilizado um sistema de Microaspersão ou Gotejamento – sistemas esses que compreendem a chamada Irrigação Localizada.

Outras vantagens

Mas a máxima produtividade de uma cultura não se alcança somente com uma boa distribuição de umidade. Existem fatores imprescindíveis. Um deles é a nutrição da planta, que deverá atingir, com exceções, o sistema radicular das plantas, principalmente as raízes mais finas.

Nesse aspecto, a Irrigação Localizada apresenta suas vantagens. Num sistema convencional, onde o volume de água é abundante, dificilmente conseguiremos aplicar uma adubação exata e uniforme para que a cultura apresente todo o seu potencial produtivo. Já com o sistema de Irrigação Localizada podemos adequar e incrementar o conjunto de irrigação, através de equipamentos injetores de fertilizantes e assim trabalharmos num ponto ótimo e monitorado de fertilização, fazendo com que o fertilizante aplicado seja colocado na região das raízes, via água de irrigação. Assim, ele é absorvido na sua quase totalidade, não havendo excesso ou perda de material que a planta não conseguiu absorver por causa da superoferta.

Otimização de mão-de-obra

Outro ponto positivo sobre a Irrigação Localizada é a otimização da mão-de-obra. Num sistema de irrigação convencional, o gasto de tempo e dinheiro com a abertura e fechamento de registros, movimentação de tubos e emissores, torna-se muito grande. Na Irrigação Localizada todo o sistema trabalha de forma otimizada, atingindo áreas maiores ao mesmo tempo.

Como o sistema consome menor quantidade de água, podemos dimensionar setores mais amplos, fazendo com que o número de abertura e fechamento dentro do sistema seja reduzido. Ainda que determinado projeto seja grande e contenha inúmeros setores, poderemos optar pela automatização do mesmo, onde todo o trabalho é realizado por um painel de automatização total, não necessitando de manutenção e trabalho freqüente.

Além disso, o sistema de Irrigação Localizada consome muito menos energia para o seu funcionamento, quando comparado aos convencionais. O volume de água utilizado é muito menor por hora de trabalho e por área irrigada, fazendo com que o dimensionamento dos conjuntos moto-bombas sejam bem menores, com conseqüente diminuição do gasto com energia.

Componentes do sistema

Nos últimos anos a área de Irrigação Localizada cresceu rapidamente. Seus componentes são os seguintes:

• Na captação da água, que poderá ser fornecida por represa, poço, rio ou fornecimento em tubulações públicas, deverá ser realizada uma filtragem para eliminação de matérias orgânicas e/ou partículas em suspensão.

• O cabeçal de controle, próximo à captação da água, succiona e pressuriza a água através de sistema moto-bomba, regula a vazão do sistema, filtra e fornece nutrientes através de injetores de fertilizantes.

• A tubulação principal que une o ponto de sucção à área irrigada geralmente deverá ser de PVC rígido. As tubulações secundárias, que dividem a área irrigada em setores, também; porém, neste caso, as bitolas são menores que a linha principal.

• As linhas laterais deverão ser de tubos Pelbd (Polietileno), com exceção de alguns sistemas que utilizam tubos de PVC, onde são fixados os emissores em espaços determinados pelo projeto.

• Os emissores, que podem ser Microaspersores, Gotejadores, Nebulizadores ou Microtubos, são os responsáveis pela distribuição uniforme da água.

Para exemplificar e ilustrar melhor os vários emissores disponíveis no mercado colocaremos algumas situações em que poderão ser aplicados:

• Os Microaspersores geralmente são utilizados em culturas de maior porte e de maior espaçamento, pela vantagem de atingirem raios de irrigação maiores, barateando o custo do investimento.

• O Gotejamento, que poderá ser realizado através de Gotejadores, Microgotejadores ou Tubos Gotejadores, geralmente é aplicado para culturas de pequeno porte, plantio adensado ou em linha, fornecendo um bulbo molhado único na linha de plantio.

• Por fim, os Nebulizadores, cuja função é fornecer pouca água em forma de spray, são utilizados geralmente em estufas, visando o abaixamento de temperaturas e aumento da umidade relativa, além de servir como agente de irrigação para a germinação de sementes.

Cabe observar que a maioria dos sistemas de Irrigação Localizada são fixos. Porém, cada situação depende de um estudo realizado por especialista, o que vem a ser outra vantagem da aplicação do sistema, pois teremos em nossas áreas de produção exatamente aquilo que necessitamos.

A assistência técnica especializada é parte fundamental no bom funcionamento do sistema, sendo acompanhado diretamente da qualidade do material adquirido. Hoje em dia encontramos, sem nenhuma dificuldade, materiais e equipamentos de altíssima qualidade.

Manoel A. C. Oliveira
IrrigaSul

Artigo visto em: http://www.grupocultivar.com.br/

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *